Logística

Tire suas dúvidas sobre a gestão de risco da cadeia de suprimentos

Frequentemente, os avanços tecnológicos e a globalização contribuem para que as empresas tenham possibilidade de crescimento e rentabilidade, porém, o nível de riscos na cadeia de suprimentos ampliou consideravelmente.

gestão de risco da cadeia de suprimentos

Para tanto, a atual complexidade desses processos e o aumento de fluxo de produtos, dinheiro e informação exigem maior atenção. Visto que a ruptura de uma dessas cadeias causa prejuízos,  exigindo inclusive esforços consideráveis para seu restabelecimento.

Assim, presumir e antecipar esses problemas é o papel da gestão de risco.  Certamente é de total relevância para a cadeia de suprimentos informar-se sobre esse gerenciamento.

Deste modo, para ajudar você, nosso artigo apresenta importantes informações sobre gestão de risco da cadeia de suprimentos. Então acompanhe conosco!

O que é gestão de risco da cadeia de suprimentos?

A cadeia de suprimentos é a administração do fluxo de equipamentos, dados e finanças por meio de uma rede interligada com diversos participantes, que objetiva produzir e entregar produtos ou serviços aos clientes.

Desse modo, a gestão de risco da cadeia de suprimentos — também conhecido como Supply Chain Management — é o processo que consiste no gerenciamento da rede. Decorrente da definição coordenada, identificação, análise e gestão de riscos e, ainda, o monitoramento e controle dos sistemas.

Qual é a sua importância?

Devido a complexidade da cadeia de suprimentos, os riscos de falhas em suas diversas fases são significativos. Por conseguinte, a gestão de riscos deve ser elaborada a fim de tentar evitá-las ou atenuá-las.

Para alcançar êxito, a gestão de risco avalia a otimização dos processos de estoque, armazenagem e transporte. Além de contribuir positivamente para o desenvolvimento de fornecedores, cujo resultado é a entrega de produtos diferenciados, com menor custo e nas condições estabelecidas.

Como dito, a gestão de risco da cadeia de suprimentos tem como propósito ajudar a reduzir os custos ao longo da cadeia, além de visar o atendimento das requisições dos clientes de modo eficiente.

Quais são as vantagens de aplicá-la?

Algumas vantagens de uma boa gestão de riscos:

  • evitar perda de vendas;
  • garantir as capacidades de produção e entrega;
  • simplificar certificações;
  • conservar a satisfação cliente;
  • cumprir as exigências regulamentares e da conformidade;
  • preservar uma boa imagem corporativa.

Como deve ser feita?

Uma gestão eficiente pode viabilizar e ativar o fluxo de produtos e informações mais relacionadas entre si, acelerando todos os processos da organização. Por isso, deve passar por algumas etapas.

Primeiramente, o cliente deve ser atraído, conquistado e fidelizado. Para que isso ocorra, é necessário extrair informações no setor da cadeia de suprimentos.

Em seguida, planejar os produtos em conjunto com os fornecedores e conseguir as matérias-primas necessárias. Então, é primordial a efetivação de uma produção de qualidade, a realização da distribuição e do transporte desses produtos com eficiência para, enfim, chegar ao consumidor.

Dessa forma, a gestão de riscos necessita de:

Planejamento

Nesse planejamento deve constar os métodos a serem usados, os papéis e responsabilidades, e ainda conter as categorias de risco e as definições das probabilidades e impacto desses riscos.

Identificação

Devem ser identificados os riscos que podem afetar a cadeia e as possíveis respostas potenciais. Tais riscos podem ser internos ou externos a organização, e ainda externos como os desastres naturais.

Análise qualitativa

A realização do processo de antepor os riscos por meio de análise qualitativa de probabilidade e ocorrência de impacto é fundamental.

Análise quantitativa

Essa avaliação numérica deve ser realizada com o objetivo de respaldar a tomada de decisões, podendo ser utilizadas técnicas como avaliação do valor monetário esperado, modelagem e simulação.

Planejamento de respostas

Para planejar as respostas aos riscos, é preciso criar alternativas que aumentem as oportunidades (riscos positivos) e diminuam as ameaças (risco negativo). Assim, durante o planejamento, é necessário nomear um responsável para cada risco.

Monitoramento e controle de riscos

Durante esse processo é possível acompanhar os riscos residuais, identificar novos riscos e analisar a eficiência dessa gestão de riscos.

Como implementar esse gerenciamento?

Para ter uma cadeia de suprimentos de excelente competência é preciso conhecê-la por completo. Por isso, é importante atentar-se na implementação das seguintes atividades:

  • localização de provedores de matéria-prima;
  • produção de mercadorias;
  • planejamento do equilíbrio entre oferta e demanda;
  • armazenamento e entrega do produto;
  • retorno ao cliente, por meio de serviço de atendimento e melhoria do processo, onde necessitar.

Para isso, necessita-se participação e comunicação entre os consumidores e seus fornecedores, notificando possíveis mudanças ou melhoria dos processos de produção.

Além dos avanços tecnológicos estarem interligados com a eficiência da gestão na cadeia de suprimentos, também é importante a utilização de softwares que ajudem nas relações e processos, possibilitando melhorias na qualidade, produtividade, pontualidade e custo.

Quais são os principais riscos?

Para garantir um bom gerenciamento, é fundamental conhecer os principais riscos da cadeia de suprimentos. Desse modo, é possível cuidar para que não haja prejuízos. Veja alguns deles:

Riscos econômicos

Esse é o principal risco, por se estender à cadeia de suprimentos e à empresa. No entanto, é possível se preparar e diminuir o impacto econômico.

Dentre esses riscos (que podem ser amenizados por meio de reserva de capital de giro), destacam-se oscilações das taxas de câmbio, impostos, taxas de juros, falência de clientes e fornecedores.

Riscos políticos

Esse fator pode afetar diretamente a empresa, visto que questões políticas causam instabilidade e podem resultar na perda de mercado consumidor repentinamente.

Assim, a melhor opção é tentar ampliar o total de fornecedores e os horizontes comerciais, não mantendo o negócio dependente de apenas um mercado consumidor.

Riscos de planejamento

Um bom planejamento pode ser feito em qualquer área, podendo ser utilizada uma pesquisa de mercado para auxiliar nos planos. Outro fator importante é avaliar e homologar os provedores, além de analisar os prazos.

Riscos geográficos

Por se tratar de riscos ligados a desastres naturais e fatores climáticos, causando a impossibilidade de transportar produtos, é possível que haja impedimento no recebimento e envio de mercadorias. Uma alternativa para amenizar esse risco é ter fornecedores e outros mercados consumidores.

Competidores

Com o mercado cada vez mais exigente, a concorrência também representa um fator de risco. No entanto, e necessário atentar a execução do planejamento feito e não esquecer de que o ponto central é o mercado.

Sustentabilidade

Com os consumidores cada vez mais preocupados com processos e produtos que afetam a natureza, a sustentabilidade também é um fator de risco. É importante repensar as suas ações, visto que escolhas erradas podem acarretar na perda de mercado, devido ao comprometimento social.

Por outro lado, a organização pode diminuir os custos a longo prazo e gerar créditos de carbono por causa dos produtos certificados. Além disso, esses produtos podem ser comercializados internacionalmente.

Qualidade

É primordial que toda empresa tenha uma produção de qualidade, treine sua mão de obra, manuseie e transporte corretamente os produtos, além da manter a qualidade da matéria-prima recebida de seus fornecedores.

Enfim, a gestão de risco da cadeia de suprimentos é um aspecto fundamental para atingir os objetivos dos negócios, com a intenção de prever perdas e alcançar novas oportunidades. Todavia, é preciso definir uma boa estratégia e superar outros desafios, como a cultura dos gestores. Desse modo será possível a implementação dessa boa prática de gestão.

Tirou suas dúvidas sobre gestão de risco da cadeia de suprimentos? Quer saber mais sobre a gestão da logística da cadeia de suprimentos? Então continue conosco, lendo o nosso próximo artigo.