Fisco, Logística

Qual a importância do planejamento tributário para o setor de logística

Qual a importância do planejamento tributário para o setor de logística

A organização da logística em uma empresa envolve questões tecnológicas, como a implementação de sistemas de informação, uma rigorosa gestão de estoque, planejamento de recebimentos e expedição, programação de entregas, roteirização e uma série de detalhes que precisam ser planejados, executados e analisados frequentemente — em busca de melhorias de resultados, da qualidade e de redução de custos.

Contudo, o que muita gente ignora, ou até mesmo desconhece, é o planejamento tributário envolvido em todas essas questões.

A compra dos produtos, contratação de funcionários, o transporte das mercadorias: tudo isso sofre a incidência de impostos. Inclusive, os gestores constantemente buscam a redução de gastos e, se a lei permite o planejamento da tributação da empresa, por que não fazê-lo?

Pensando nisso, decidimos criar o post de hoje, para falar mais sobre o planejamento tributário e qual é a sua importância para o setor de logística.

Então, quer saber mais sobre esse assunto? Então confira as informações a seguir:

O que é o planejamento tributário?

O planejamento tributário é uma forma — lícita, é claro — a que as empresas recorrem, buscando reduzir a carga tributária total de suas operações. Esse planejamento contribui para que as empresas possam obter uma maior economia financeira, através da análise tributária e da redefinição de seu posicionamento.

Ou seja, com o planejamento tributário, as empresas podem recorrer a meios legais para a redução do pagamento de tributos.

Por que as empresas devem dar atenção a esse planejamento?

O planejamento tributário permite que as empresas definam qual é o melhor regime de tributação, de acordo com a atividade que realiza. Portanto, quando as empresas não dão a devida atenção a isso, elas correm o risco de serem mais tributadas do que poderiam — o que acaba fazendo com que os custos operacionais sejam elevados consideravelmente.

Por que ele é importante para o setor de logística?

A área da logística, por si, já representa uma das maiores contas de uma empresa, principalmente no que diz respeito ao frete, e um dos pontos que influenciam diretamente nisso é a incidência do ICMS — além do PIS, Cofins e outras taxas obrigatórias.

Assim, quando a empresa realiza o armazenamento das mercadorias, ainda há a incidência de ISS. E isso sem contar os encargos referentes à mão de obra. Inclusive, sabemos que, no Brasil, a carga tributária é elevada e que essas obrigações devem ser cumpridas.

Mas, se existem meios legais, que fazem com que esses custos sejam menos onerosos para a empresa e conseguem aumentar a margem de operação, as empresas podem — e devem! — utilizá-los.

Centro de Distribuição

Um exemplo bastante prático, com relação ao planejamento tributário, é o processo de tomada de decisões do local da instalação de um Centro de Distribuição.

Como os percentuais tributados variam de estado para estado, ao optar por instalar um CD, além de considerar questões importantes como proximidade dos clientes e capacidade de escoamento da carga, as empresas também devem avaliar os tributos incidentes e se os governos fornecem certos tipos de isenções fiscais.

Tudo isso, se bem aproveitado, pode trazer uma redução considerável nos custos logísticos ao final de determinado período.

Terceirização Logística

Outro ponto importante está relacionado ao trabalho realizado por empresas distintas. Pois, isso influencia principalmente as empresas que não possuem o transporte como atividade fim, mas que optam por fazer a gestão própria de sua logística.

Assim, o planejamento tributário ajuda a compreender melhor essas operações e, também, a escolher a melhor forma de tributação para esses casos.

Empresas Diferentes para cada Operação

Existem empresas que optam por fazer a separação, mesmo que a gestão seja a mesma, de empresas diferentes para cada operação. Ou seja, se uma empresa atua na indústria, por exemplo, ela pode avaliar a possibilidade de criar outra empresa, que será a responsável por gerir a parte de transportes.

Nesses casos, mesmo possuindo o mesmo dono, são empresas distintas, com atividades distintas, que foram separadas com o propósito de obter a melhor forma de tributação — e sem deixar de cumprir a lei.

Quais são os gastos totais referentes a tributos nas operações logísticas?

Como essas questões variam entre o ramo de atividade e o estado em que as empresas se encontram, não é possível estimar ao certo qual será a incidência dessas taxas para uma empresa.

Contudo, somando ICMS, PIS, Cofins, IR, ISS, outras taxas obrigatórias e mais os encargos sobre a folha de pagamento, é possível chegar a 50% do valor total dos custos das operações.

Entretanto, mesmo que não chegue a esse percentual, ainda sim devemos considerar essas taxas bastante elevadas. Dessa forma, se não forem cuidadosamente planejadas, podem fazer uma empresa sucumbir, devido ao custo elevado de operação.

Como as empresas de logística podem diminuir esses gastos?

Um planejamento tributário bem realizado é o primeiro passo. Pois, através dele é possível tomar conhecimento sobre isenções fiscais que muitos gestores normalmente não se dão conta de que existem.

Além disso ainda há a possibilidade de buscar estruturas de sociedade diferenciadas e até mesmo o trabalho com empresas distintas.

Também é preciso ressaltar a importância de ter um planejamento futuro, uma vez que existe um viés de aumento de obrigatoriedades, como a exigência de documentos fiscais eletrônicos — como no caso do CT-e — e o aumento das taxas cobradas.

Um planejamento tributário futuro permite que a empresa possa se programar, tanto de acordo com as mudanças impostas pelo Governo, quanto de acordo com o crescimento do negócio em determinado período.

Para isso, as empresas precisam contar com profissionais qualificados: consultores, auditores, contadores e advogados, que consigam entender a complexidade do regime tributário e a complexidade das operações logísticas, ao mesmo tempo que consegue conciliar essas duas vertentes.

Como podemos ver, o planejamento tributário tem mais influência no setor de logística do que muita gente imagina. Então, por ser uma área onerosa, as empresas podem procurar meios legais que ajudem a conseguir todos os benefícios e isenções, que contribuam para que os custos sejam os menores possíveis.

O que você achou deste post? Já conhecia a importância do planejamento tributário para o setor de logística?

Agora, contribua com o seu conhecimento sobre o assunto, deixando suas opiniões nos comentários!