Apesar de toda a tecnologia disponível no mercado para aperfeiçoar as estratégias de logística no país, e que cada vez mais ganham adeptos, o setor de transporte de cargas enfrenta muitas dificuldades e desafios em logística no Brasil.

Algumas das barreiras enfrentadas pelas empresas responsáveis pela movimentação de cargas, nos mais diferentes modais, são:

  • Condições de infraestrutura precárias;
  • Processos administrativos e burocráticos demorados;
  • Falta de mão de obra especializada;
  • Alta tributação.

Mas os obstáculos não se resumem apenas ao transporte da carga. Toda a cadeia de suprimentos é afetada, inclusive nos seus processos internos, que incluem planejamento de armazenagem, circulação e distribuição de produto.

Para poder otimizar os processos, reduzir seus prazos e elevar os ganhos, é necessário que a empresa tenha profissionais tecnicamente preparados e engajados aos objetivos da organização.

Segundo levantamento do Grupo IMAM, que presta consultoria em logística, são 4 os principais desafios em logística atualmente:

1. Melhora da eficiência operacional

Este talvez seja o maior desejo dos empreendedores. Trabalhar com mais eficiência do que sua concorrência nas atividades semelhantes desempenhadas.

Porém, apesar de ser um objetivo comum a todas as empresas e parecer óbvio, fazer com que a empresa utilize seus recursos de uma maneira lucrativa depende do envolvimento de todos os setores e de todo o quadro de funcionários para que essa meta seja alcançada.

Então é a partir de mudanças que se tornam necessárias nos processos. Consequentemente, a partir destas alterações nos processos os resultados começam a aparecer e a produtividade da empresa aumentará naturalmente;

2. Redução de custos é um dos principais desafios em logística

Esse desafio logístico só será possível de ser resolvido assim que a empresa estiver disposta a implementar o item anterior: melhorias na eficiência operacional.

Com planejamento dos processos e a implementação de novas ferramentas e estratégias, a redução de custos pode fazer parte do financeiro da organização.

Hoje, a tecnologia é uma grande aliada para que a receita da empresa seja utilizada de forma mais eficiente. Principalmente, nos processos de automação da cadeia logística que impactam em processos que vão desde a redução de papel utilizado na emissão de documentos fiscais e administrativos, até sistemas de navegação que otimizam as rotas. Proporcionando, inclusive, redução no consumo de combustível utilizado pela frota de veículos.

3. Melhora no nível de serviço ao cliente

Nunca antes na história econômica mundial, o consumidor foi tão exigente com as empresas. Esse aumento do nível de exigência deu-se, em grande parte, pela disseminação da internet que promove o imediatismo na nossa rotina. Ainda por cima, é através da avaliação dos clientes que a sobrevivência da organização depende.

Diversas empresas oferecem ferramentas tecnológicas para o monitoramento da sua encomenda, pois a rapidez na entrega além de ser ser um dos principais desafios em logística também é um diferencial neste mercado que se mostra cada vez mais competitivo.

Porém não basta apenas que a carga seja entregue no seu destino final sem avarias e dentro do prazo, o atendimento e relacionamento que a empresa oferece ao seu cliente deve ser levado a sério.

4. Sincronização da cadeia de abastecimento

É aqui que a tecnologia da informação e a automação precisam ser utilizadas como ferramenta principal. O primeiro passo é integrar as informações dos agentes de supply chain (indústria, distribuidor e varejo).

Além disso, entender a necessidade de cada um desses atores torna o processo mais sustentável. Evitando assim inchaço de estoque e o consequente desperdício de produtos.

Como resultado da sincronização das demandas de cada um desses elos, a empresa começa a apresentar maior produtividade, redução de custos e aumento de ganhos. Inclusive, tudo isso impacta não apenas internamente, mas também na experiência do serviço que será oferecida ao cliente.

Portanto todas essas mudanças e desafios em logística precisam ser analisadas pelas empresas. Pois aquele que não se adapta às demandas do mercado consumidor é excluído naturalmente da referência dos consumidores. Além de perder credibilidade perante a concorrência.

Os anos de 2020 e 2021 foram desafiadores quanto à capacidade de adaptação de supply chain. Os impactos da pandemia e, consequentemente, suas intercorrências econômicas fizeram com que a cadeia vivesse situações que até então não havia provado. “O que me preocupa neste cenário é o quanto o segmento realmente internalizou esse aprendizado, ou se apenas encontrou medidas superficiais e paliativas para “driblar” esses obstáculos.” salienta Marcelo Zeferino, Diretor Comercial e de Marketing da Prestex. 

Em nossa visão, à medida que as relações de negócios retornam ao seu fluxo cotidiano percebe-se uma aceitação quase que passiva com o ambiente vivido. Zeferino continua: “O que aprendemos com tudo isso? Como a indústria está olhando para sua competitividade no transit time? Quanto estamos realmente preocupados com quem paga a conta, o cliente? O mercado tende a se comportar de acordo com a moda do momento, sem aprofundar o conhecimento e internalizar os aprendizados para um próximo evento. Hoje está na moda discutir last mile, drone, carro elétrico, mas alguém perguntou para o cliente o que realmente é importante nesta cadeia? Ou até mesmo olhar com esse mesmo viés competitivo o restante da cadeia? Entendo que não. Por isso, nós da Prestex buscamos cada vez mais estar próximos de quem realmente entende de logística: o cliente.”

Como superar tais desafios em logística? 

Podemos dizer que os principais caminhos para superar esses desafios passam pela realização de investimentos em tecnologia e treinamento de pessoal.

Um termo que vem ganhando destaque no mercado é “logística 4.0”, que se refere à aplicação dos novos recursos tecnológicos para otimizar todos os processos logísticos, buscando mais agilidade, eficiência e redução de custos.

A adoção da logística 4.0 potencializa resultados utilizando análises de dados e sistemas inteligentes, capazes de auto otimização e auto configuração. Essas são práticas fundamentais para as instituições que desejam superar seus concorrentes.

Em paralelo aos investimentos em tecnologia, as empresas que buscam a excelência em logística devem se preocupar também com a capacitação de sua equipe. Colaboradores mal preparados, que não têm clareza sobre os processos da área nem sobre seu papel na organização podem comprometer desempenho e, consequentemente, os resultados da empresa.

Muitas empresas não prestam a devida atenção ao mapeamento de seus processos logísticos, ou o fazem uma vez e depois o deixam de lado. Com o passar do tempo e a rotatividade natural da equipe, conhecimentos e experiências vão se perdendo resultando em menor eficiência operacional. 

Uma maneira valiosa de resolver este problema é proporcionar cursos de extensão para os colaboradores. Eles têm a finalidade de desenvolver habilidades específicas e aprimorar o desempenho dos profissionais.

Na logística, a informação representa um recurso fundamental para a tomada de decisão. Ter informações precisas e rápidas faz a diferença neste mercado cada vez mais competitivo.

Por fim, vale a pena avaliar a contratação de uma consultoria logística. O trabalho da consultoria se inicia a partir da análise das atividades logísticas da empresa com o intuito de mapear as operações, identificar quais pontos devem ser aprimorados e, assim, elaborar um diagnóstico da situação atual do negócio.

Após realizar o diagnóstico, a consultoria elabora um plano de ação que considera a situação atual da empresa, os objetivos que esta pretende atingir e o quanto está disposta a investir em melhorias.

Esse plano serve como uma espécie de bússola que vai guiar todas as ações necessárias para a empresa aperfeiçoar suas atividades. Além disso, este contém os recursos, prazos e indicadores de cada ação que visa atender aos objetivos definidos.

Em resumo, a área de logística está entre as principais de uma empresa e demanda um bom planejamento que agregue eficiência, qualidade e agilidade aos seus processos. 

Quando os processos logísticos são bem definidos e organizados, é possível criar, armazenar, disponibilizar, vender e entregar produtos de forma muito mais rápida.

Adicionalmente, investir para otimizar a logística pode resultar em maior controle do fluxo de produção, das entregas, vendas, entre outros aspectos. Para isso, é possível contar com a tecnologia como forte aliada da otimização logística da empresa.

Conheça a Prestex

A Prestex trabalha de maneira global, assessorando cada negócio de maneira personalizada, de acordo com as particularidades de cada cliente. Nossa equipe, no ar ou em solo, acompanha cada passo, atualizando informações em tempo real. Para superar os desafios logísticos das empresas, nós oferecemos soluções completas. Entre em contato com nossos especialistas e agende uma conversa.