Logística

6 tendências de logística para 2022

Seguem 6 tendências de logística para se manter atualizado para os próximos anos, afinal é algo essencial para toda empresa que deseja apresentar maior competitividade no mercado.

tendencias de logistica

Tendências de logística apontadas em 2019

Com a exigência dos clientes por maior qualidade nos serviços, o conhecimento sobre novas ideias é uma das formas inteligentes de se destacar.

Para ajudar a sua empresa a se tornar referência no setor, neste artigo, apresentaremos 6 tendências de logística para 2019. Continue lendo e posteriormente analise quais são os conceitos mais indicados para o seu negócio. Boa leitura!

1. Blockchain

O blockchain surgiu no mercado financeiro como uma ferramenta direcionada ao bitcoin (moeda virtual). Basicamente, o software consiste em um banco de dados para registro de informações que não podem ser alteradas.

E como é uma tecnologia com diversas possibilidades de aplicação, o blockchain foi, aos poucos, se desvinculando do bitcoin e passando a ser explorado por outros nichos, tais como:

  • mercado de seguros;
  • varejo;
  • logística.

Na logística, a utilização da ferramenta já é uma realidade, mas com uma forte tendência de crescimento para os próximos anos. De maneira simplificada, o blockchain pode ajudar as empresas no compartilhamento seguro de dados.

Por exemplo, em uma transação de distribuição de mercadorias envolvendo duas ou mais empresas, todas as partes envolvidas conseguem acessar a mesma rede e verificar informações diretamente da fonte, sem a intervenção de terceiros, como órgãos regulamentadores e afins.

2. Dispositivos autônomos

A introdução de máquinas independentes é uma realidade cada vez mais palpável dentro do mercado corporativo. Diferentes ferramentas capazes de executar ações sem a presença ou a intervenção direta de um ser humano.

Hoje, na logística, já existem alguns exemplos de máquinas inteligentes que exercem funções importantes para uma empresa, por exemplo:

  • robôs de separação de mercadorias;
  • drones para entregas;
  • veículos autônomos.

Dentre esses, os veículos autônomos são aqueles que chamam maior atenção. O projeto dos famosos “carros sem motorista” ganhou força no momento em que grandes empresas, como a Microsoft e a Google, anunciaram que estavam criando suas próprias versões da tecnologia.

A ideia central da ferramenta é possibilitar que os veículos sejam controlados a distância ou mesmo de forma independente, reunindo diversos recursos tecnológicos — o sistema funciona coletando informações sobre o ambiente e decidindo qual melhor ação tomar durante uma viagem.

A implementação desse tipo de veículo traz grandes benefícios para as empresas logísticas, como a diminuição de custos na contratação de motoristas, menor risco de acidentes com os profissionais e um aumento da eficiência nas entregas.

3. Logística reversa

A logística reversa é a ação desenvolvida pelo setor a fim de garantir que as embalagens plásticas e outros restos de produtos tenham um fim adequado. Ou seja, é um trabalho de recolhimento, só que partindo do consumidor final para o local de origem.

No Brasil, foi instituída a Lei 12.305/10, que obriga as empresas a darem um fim correto para os seus resíduos sólidos, visando sempre a preservação do meio ambiente. Como é uma norma que trata de todos os produtos relacionados a uma marca, até aqueles que já foram distribuídos, a indústria precisou criar estratégias para se adaptar, foi então que surgiu a logística reversa.

Com isso, as empresas passaram a utilizar os mesmos caminhões de entrega para recolhimento do produto.

Na prática, se tornou algo rentável, pois os veículos voltariam vazios para o ponto inicial.

As tendências de logística para os próximos anos, tais como a logística reversa está relacionada às melhores técnicas de reutilização e reciclagem dos materiais. Com as inovações tecnológicas, muitos resíduos podem ser reaproveitados, dando origem a outros produtos ou objetos úteis.

4. Monitoramento em tempo real

Uma das grandes dificuldades da logística no passado era o acompanhamento real do trajeto dos caminhões. Ainda mais que a maior parte do contato entre o motorista e a empresa só acontecia nos pontos estratégicos de parada.

Hoje, com as ferramentas existentes, já é possível monitorar o transporte das cargas em tempo real. GPS nos caminhões e até mesmo aplicativos de celular são alguns exemplos de tecnologias utilizadas para esse fim.

Em termos de tendências de logística para os próximos anos é esperado maior facilidade de gerenciamento, com novos softwares sendo desenvolvidos diretamente para os veículos.

Além disso, a participação do cliente no monitoramento também é algo natural, permitindo maior transparência do serviço e possibilitando que ele acompanhe o status atual da sua entrega.

5. Logística compartilhada

A ideia básica da logística compartilhada é reunir empresas que tenham interesses em comum e criar mecanismos que facilitem o compartilhamento de serviços, por exemplo, espaços em armazéns e veículos de transporte.

No Brasil, a prática ainda não é muito comum. Mas é exatamente na possibilidade de crescimento que está a tendência para 2019.

A ação mais executada na logística compartilhada atual é a utilização otimizada dos caminhões. Aqui, as empresas extraem o potencial máximo dos veículos, aumentando a eficiência dos serviços e diminuindo custos.

A logística reversa é um exemplo claro de como essa estratégia pode funcionar muito bem. Bem como duas empresas entram em acordo para compartilharem seus veículos: enquanto uma utiliza os equipamentos para distribuição, a outra faz uso para o recolhimento de resíduos de materiais.

Já existem diversos aplicativos que conectam as empresas e pessoas interessadas em realizar esse tipo de prática. E as vantagens são imensas, por exemplo:

  • redução de custos nos transportes;
  • melhoria na execução dos serviços;
  • aproveitamento completo dos espaços disponíveis.

6. Same day delivery

Em português, a expressão significa “entrega no mesmo dia”. A ideia central é exatamente o que o nome propõe: que a mercadoria do cliente seja entregue no mesmo dia da confirmação da compra.

É uma ideia audaciosa, mas já colocada em prática em muitos países. Por outro lado, no Brasil ainda é uma tendência para o futuro, mas com grande possibilidade de sucesso.

No entanto, é importante um trabalho de integração bem construído para colocar essa estratégia em ação. Pois, uma vez apresentada ao cliente, a empresa deve cumprir com o combinado.

O mais correto é que o same day delivery seja implementado primeiramente nos grandes centros urbanos, próximos das fábricas e dos centros de distribuição. Como fator prático, a estratégia pode se tornar uma grande vantagem competitiva para a empresa que dominá-la com maestria.

Chegando ao final de 2021, vemos que a crise nos componentes eletrônicos aliada à dificuldade de movimentação marítima no mundo, está posicionando os esforços da logística para esse período, e talvez para os próximos dois ou três anos. “A América do Norte e a Ásia tem uma participação cabal na produção brasileira, e para que as indústrias aqui posicionadas consigam ser competitivas neste cenário, teremos tempos de muita adaptação e criatividade. Existe um movimento industrial importante tentando resolver essa questão internamente e a logística precisa se preparar para isso. Os movimentos até então congruentes com o cenário passado, não garantem essa movimentação. Desta forma, novas soluções em serviços serão pontos peremptórios para recuperarmos a competitividade da cadeia.” afirma Marcelo Zeferino, Diretor Comercial e de Marketing da Prestex. 

Adicionalmente, selecionamos algumas apostas para o ano de 2022 (e seguintes). Confira abaixo!

PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DE LOGÍSTICA PARA 2022

Last mile

O cliente de hoje quer receber o produto que comprou o mais rápido possível. E não apenas isso. O consumidor moderno também quer acompanhar em tempo real todos os status relativos à entrega – desde a saída do centro de distribuição até a chegada ao endereço indicado para o recebimento. 

A redução dos prazos de entrega passa pela priorização do transporte aéreo, algo que faz parte do dia a dia da Prestex, referência em transporte emergencial.

Sobre este tema, Zeferino comenta: “Outro campo que será amplamente difundido é sem dúvida o last mile. Este tema está na moda e o mercado se esgrima para dizer quem faz a última perna em menos tempo. Sem dúvida, essa é uma preocupação, mas muito rasa em se tratando de um país continental que movimenta cerca de R$ 3 trilhões de cargas ao ano. Por isso, a Prestex investe cada vez mais em tecnologia e pessoas, para aliar a gestão da cadeia a gente que saiba ouvir gente.” 

Entrega por drones

O ano de 2022 promete trazer muitas surpresas para o setor logístico de entregas, inclusive com a chegada dos drones. Já havíamos mencionado esta possibilidade em 2019 e agora ela está mais perto do que nunca de se tornar realidade.

Os drones são miniaeronaves que voam integralmente com a ajuda da tecnologia, sem a necessidade de serem tripulados. As entregas por drones já estão em fase de testes em algumas empresas.

Os drones têm grande potencial de evitar congestionamento e emissões, além de manterem a velocidade das entregas, ainda que apenas de pequenos volumes. Esta tecnologia está em consonância tanto com a tendência de redução de prazos de entrega quanto com a maior preocupação com questões ambientais que veremos ainda neste artigo.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial já vem sendo discutida há algum tempo e é uma grande aliada de diversos setores nas empresas, inclusive na área de logística. Quanto mais esse recurso é desenvolvido, mais podemos pensá-lo como uma solução para diversos tipos de soluções logísticas, como fluxo de demandas, gestão de estoque e fretes.

A Inteligência Artificial recria a capacidade de raciocínio do ser humano e, por meio desses dados, apresenta as melhores soluções. Esta traz diversos benefícios, tais como: maior previsibilidade e, consequentemente, redução de falhas, aumento da produtividade dos colaboradores, personalização das entregas, entre tantos outros.

ESG na logística

As preocupações com o meio ambiente começaram a aparecer não é de hoje, mas nos últimos anos, esse assunto ganhou mais espaço entre as empresas. Seja por uma cobrança de investidores ou dos próprios consumidores, os chamados valores ESG (Environmental, Social and Governance, ou Meio ambiente, Sociedade e Governança) passaram a influenciar diretamente ações e estratégias dentro das companhias. A logística não deve ficar de fora desta tendência.

A expectativa é que, em 2022, as ações voltadas a políticas de proteção ao meio ambiente sejam mais visadas pelos clientes, tornando-se um motivo ainda mais forte para os consumidores escolherem entre uma ou outra empresa no momento de fazer novos negócios. A atenção com a logística sustentável deve crescer.

Por que investir em logística é tão importante?

Agora que já atualizamos o que deve vir por aí para modernizar ainda mais nossa área de atuação, vamos reforçar a importância de realizar investimentos em logística.

A logística pode ter o papel de mola propulsora de um negócio. Com processos logísticos alinhados e bem-estruturados, a empresa consegue manter a produtividade em alta e ainda reduzir custos a curto, médio e longo prazos.

Além disso, bons processos logísticos minimizam erros que poderiam custar caro. Se a gestão da empresa está alinhada à logística realizada desde o chão de fábrica até as linhas finais de produção, é possível encontrar as falhas dos processos e elaborar estratégias para resolvê-las.

O investimento em logística ainda faz com que o atendimento aos clientes seja mais eficaz. Atrasos nas entregas costumam ser um dos principais motivos de reclamações. De acordo com uma pesquisa conduzida pela Convey, 7 em cada 10 consumidores provavelmente não voltariam a comprar uma marca que proporcionasse uma experiência de entrega ruim. Assim, garantir que os processos logísticos funcionem perfeitamente se torna estratégico para aumentar a satisfação dos clientes e, por consequência, preservar a boa imagem da companhia.

Por onde começar a investir em logística?

Para começar a investir em logística, é preciso, antes de tudo, de um bom planejamento. Não é interessante sair mudando os processos sem antes avaliar os impactos, positivos ou negativos, que isso pode causar.

Nesse momento, o ideal é contar com uma empresa especializada. Se você deseja melhorar a sua logística, saiba que a Prestex é uma empresa especializada em logística de cadeia de valor e oferece soluções para todo o Brasil!

Navegue pelo site da Prestex e saiba mais sobre nossos modelos de entregas rodoaéreas!