O uso de blockchain na logística está sendo cada vez mais encorajado por agregar uma série de benefícios concretos para os gestores. Com descentralização dos processos e maior transparência nas ações, é possível que o setor seja mais eficiente e seguro. Além disso, poderá ajudar a empresa como um todo, diminuindo prejuízos e melhorando a relação com o cliente.

Blockchain na logística: entenda como pode ser aplicado

Leia este artigo para aprender um pouco mais sobre as aplicações desse conceito nas atividades logísticas!

O que é blockchain?

Blockchain é uma tecnologia que surgiu em 2008, como suporte ao bitcoin e às criptomoedas. Consiste em um banco de dados que implementa descentralização da validação de transações, ou seja, a verificação é feita sem intermediários. O acesso aos bancos é feito com chaves criptografadas de todos os envolvidos. Inclusive, cada etapa do processo só acontece se houver consentimento de todas as partes.

É como uma tentativa de acordo entre duas pessoas de países diferentes. Os intermediários nesse caso seriam os intérpretes, responsáveis por “validar” o diálogo. Mas com o blockchain, que é como uma língua comum, os dois interlocutores têm a autonomia para conversar entre si e negociar sem precisar de um tradutor.

A tecnologia é caracterizada por ser: imutável, já que mantém histórico das transações e as que foram realizadas no passado não podem ser alteradas; transparente, já que todas as etapas são visíveis para todos os envolvidos que têm acesso ao banco; robusta, afinal, caso algum nó seja retirado, o funcionamento não é comprometido; e sem intermediação, já que não há um agente central responsável pelo controle.

Blockchain é uma tecnologia emergente e faz parte da inovação moderna das empresas de diversos setores. Segundo um estudo do IDC, cerca de 2 bilhões de dólares serão investidos somente em 2018!

Como aplicar blockchain na logística?

Esse paradigma é utilizado para melhorar a negociação entre as empresas, por exemplo, já que envolve total transparência e autonomia nas transações. Conferindo, assim, maior segurança e confiabilidade para todas as partes. Também pode ser usado para desburocratizar as negociações, uma vez que dispensa intermediários.

Em casos específicos, como o compartilhamento de caminhões entre empresas, existe a possibilidade de saber todos os detalhes do transporte e variáveis envolvidas. Com isso, o acordo poderá ser realizado de uma maneira mais confiável e justa.

Com o controle das cargas, é possível rastrear caminhões onde estiverem e monitorar a segurança dos produtos e dos funcionários. Assim, os gerentes podem controlar a integridade das mercadorias e ser notificados sobre situações circunstanciais envolvendo os caminhões, como acidentes e roubos. Dispondo de feedbacks dos sistemas em tempo real, os gestores podem se preparar melhor e tomar decisões mais rapidamente.

Qual a importância do blockchain para a indústria?

Blockchain oferece maior transparência nos processos, o que facilita o monitoramento, e agilidade nas operações. Com isso, as indústrias podem se tornar mais lucrativas e eficientes, reduzindo custos.

Isso gera um aumento de credibilidade, já que será garantida a qualidade dos produtos e as entregas poderão ser feitas nos prazos corretos. Para evitar o “efeito dominó”, em que atrasos só geram prejuízos maiores em todos os setores, essa tecnologia é fundamental!

Além disso, a ideia de validação descentralizada oferece um grande suporte e maior confiabilidade à internet das coisas. Permitindo mais inteligência nos processos operacionais das indústrias com uma rede de objetos conectados à rede.

Estudar blockchain é muito importante atualmente, já que suas aplicações na logística impactarão positivamente muitas empresas. Com isso, os serviços logísticos serão otimizados e os prejuízos decorrentes de imprevistos serão reduzidos.

Viu como blockchain na logística pode gerar resultados incríveis? Se você gostou desse post, leia esse outro para aprender também um pouco mais sobre outro conceito altamente relevante: indústria 4.0.