Qual é a importância da gestão financeira na cadeia logística?

Empresas de diferentes perfis contam com uma cadeia logística. Ela pode ser mais simples ou mais complexa, e, em mercados cada vez mais competitivos, deve ser vista como parte fundamental para a boa execução da estratégia de negócios. 

Os recursos desta área devem ser bem direcionados desde a produção até a distribuição final das mercadorias, demandando uma gestão financeira eficaz.

O que é cadeia logística?

A cadeia logística compreende todo o ciclo de produção e entrega de um produto. Esse ciclo conta com diversas etapas, desde o planejamento até o momento em que o produto é entregue para o devido consumidor.

Uma cadeia logística pode ser simples ou complexa. No caso da cadeia simples, temos os fornecedores, a empresa e o cliente final. Já a cadeia complexa conta com empresas terceirizadas e as que fornecem produtos para os fornecedores do seu negócio, por exemplo.

Além disso, a cadeia logística é composta por uma série de elementos, como suprimentos, produção, armazenagem, distribuição e transporte, fluxo de informações, custos e gerenciamento.

Para que serve a cadeia logística?

A cadeia logística permite que todos os processos de criação e distribuição de mercadorias sejam feitos de forma conectada, Com isso, os aspectos relacionados à produção, planejamento, vendas, entregas, entre outros, são otimizados em busca de prazos menores sem prejuízo à qualidade da operação.

É preciso que todas as etapas funcionem de maneira autônoma e, ao mesmo tempo, interligada. Isso pode ser feito a partir de um bom controle de gestão, realizado por meio de softwares, por exemplo.

Como a gestão financeira impacta a cadeia logística?

A área logística precisa estar preparada para imprevistos de todos os tipos. Assim, conhecer as melhores práticas de gestão financeira na logística é um recurso muito importante para manter a competitividade dos negócios.

A gestão financeira pode impactar a cadeia logística por meio de um controle de custos mais apurado. Os custos, desde a produção até o transporte de um produto, e até mesmo as questões relacionadas à cadeia reversa, devem ser gerenciados de perto para que a cadeia logística funcione de forma adequada e não cause perdas financeiras para a organização.

Ao ter o controle dessa gestão, fica mais fácil identificar problemas e oportunidades de melhorias que contribuam para a eficiência operacional sem afetar a imagem da empresa no mercado. Veja, a seguir, alguns exemplos de custos que devem ser incluídos na gestão financeira da cadeia logística:

  • Gestão de estoque;
  • Custos com embalagens; 
  • Despesas com aquisição de veículos ou contratação de transportadora terceirizada, fretes, manutenção, combustíveis, entre outros;
  • Tributos incidentes na logística.

O que não pode faltar na gestão financeira da cadeia logística?

O processo de gestão financeira pode variar conforme os principais custos de logística na empresa, No entanto, existem algumas medidas que são consideradas essenciais:

Métodos de custeios

Métodos de custeio consistem na maneira como a empresa define o preço final da venda dos produtos. Na prática, são três metodologias que podem ser implementadas.

O método de custeio variável é também chamado de método de custeio direto. É um dos mais conhecidos e utilizados entre as empresas. Simples e objetiva, essa metodologia considera como custos de fabricação os custos variáveis, diretos e indiretos. Os custos fixos são considerados como despesas.

Já o custeio por absorção considera todos os custos envolvidos, diretos, indiretos, fixos e variáveis. E, por último, existe o custeio ABC, baseado em atividades que parte do princípio de que o preço de determinado produto é motivado pelas atividades desempenhadas na empresa que o produz.

Mapeamento de processos

O mapeamento de processos estuda detalhadamente as operações que envolvem a logística. Para aumentar a eficiência das etapas, os processos são definidos e padronizados com foco em minimizar falhas e consequentemente gastos desnecessários.

Indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho (KPIs) são métricas aplicadas por um sistema de gestão que mostram em quais etapas da logística as decisões dos gestores trouxeram mais efeitos positivos.

Entre os principais exemplos de KPIs logísticos, estão taxas de avarias e giro de estoque. 

Tecnologia

As soluções de tecnologia são grandes aliadas dos gestores de logística. Estas otimizam os processos, mostram dados essenciais e ajudam na tomada de decisão baseada em informações relevantes. Ainda geram relatórios de controle automáticos e reduzem as atividades burocráticas. 

O controle financeiro impacta os resultados da empresa. Para realizar a gestão de maneira eficaz, é possível contar com uma empresa especializada em logística B2B, como a Prestex.

A Prestex conta com diversos cases de sucesso e está sempre preparada para otimizar a forma de fazer logística em organizações dos mais variados nichos do mercado. 

Navegue pelo site da Prestex e veja como a empresa pode ajudar a otimizar a sua cadeia logística!