Logística

Os impactos da Lei da Terceirização no setor logístico

Sancionada no dia 31 de março de 2017, pela Presidência da República, a Nova Lei da Terceirização assegura todos os direitos trabalhistas aos trabalhadores CLT das empresas prestadoras de serviço. Então, a alteração é que agora a terceirização passa a ser permitida para qualquer atividade.

Lei da Terceirização no setor logístico

A aprovação da nova lei transforma as relações de trabalho no Brasil. Assim, com o projeto, a ideia do governo é modernizar as relações de trabalho e estimular a cadeia produtiva, permitindo que as prestadoras de serviços especializados tenham contratos mais adequados e com maior segurança jurídica.

O que é a terceirização?

A terceirização é um processo pelo qual uma empresa contrata outra para prestar um determinado serviço. Na maioria das vezes, a terceirização é uma prática em serviços como limpeza, segurança e suporte.

Mas, com a nova lei, as empresas podem terceirizar até mesmo sua atividade-chave. Segundo dados do Dieese, o Brasil conta com cerca de 12 milhões de trabalhadores terceiros. O número desse tipo de trabalhadores cresce a cada ano devido a busca da especialização em atividades. Sendo assim, muitas empresas transferem tarefas acessórias a prestadoras de serviço terceirizadas.

Desenvolvimento e legalidade para o setor logístico

Muitas entidades do setor logístico acreditam que a Lei da Terceirização era uma necessidade antiga. Assim com sua aprovação, estimula-se a competitividade entre empresas e contribui-se para a redução de custos da cadeia produtiva. Além de tornar legal questões contratuais e trabalhistas, antes vistas como empecilhos jurídicos.

Além disso, a lei põe fim a uma barreiras e dúvidas: a terceirização da atividade-fim. A possibilidade de poder transferir a atividade fim a uma empresa especializada é considerada o ganho mais expressivo para o segmento, já que a nova legislação eliminará questões trabalhistas anteriores. Sendo assim, cada empresa será livre para poder terceirizar suas atividades, inclusive as atividades-fim.

Assim, todas estas mudanças abrem caminhos para novas oportunidades dentro do segmento logístico, que enfrentava a burocracia e questões jurídicas entre as empresas envolvidas no negócio. A contratação de serviços terceirizados é algo corriqueiro para empresas de soluções logísticas.

Porém, o receio na legalidade das contratações era sempre presente. Dessa foma, com a nova lei, se espera um aumento na produtividade e mudanças.

A terceirização também será essencial para a formação de redes de produção locais, regionais, nacionais, para uma estrutura produtiva cada vez mais integrada. O desenvolvimento do empreendedorismo de novos empresários e a geração de emprego são algumas das consequências da sua implantação. Aliás, não apenas para o setor logístico, mas para todos os segmentos.

Terceirizando a logística

Basicamente, a terceirização consiste em transferir uma atividade para outra empresa especializada na função.

Entre as operações logísticas que podem ser terceirizadas estão transporte, armazenagem, limpeza, montagem de pedidos, segurança, entre outras.

O objetivo principal dessa distribuição de atividades é reduzir custos e fazer com que a empresa foque todas as suas atenções apenas nas atividades estratégicas, ao invés de pensar em tarefas operacionais. Entre as vantagens estão a possibilidade de ter uma gestão mais eficiente e simplificada, a redução de pessoal voltado para ações operacionais e a diminuição de despesas com salários e cargos.

Além disso, a entrega de resultados é otimizada e executada de modo mais profissional. Isso porque a prestadora de serviços é especialista na atividade e está sempre buscando inovações.