Os custos logísticos, se não geridos de forma eficiente ou se não forem reduzidos, podem se tornar verdadeiros problemas para a saúde financeira da empresa. E, inclusive, gerar riscos para sua estabilidade.

7 estratégias para reduzir os custos logísticos

Entre altos investimentos e excessivos gastos operacionais, a logística empresarial, sem dúvidas, é sempre uma das áreas que mais preocupam e demandam a atenção especial do gestor.

Por esse motivo, tanto se fala sobre a importância de se trabalhar uma gestão de redução ou de eliminação dos custos logísticos. Hoje, podemos garantir que isso se torne mais viável graças a dois fatores essenciais: tecnologia e boas parcerias.

Quer entender melhor como tudo isso é possível? Então, continue a leitura, tome nota das dicas e use as ideias como base para a sua gestão. Vamos começar?

Onde se concentram os custos logísticos?

De uma maneira geral, os custos logísticos estão presentes em toda a cadeia de Supply Chain. Mas podemos dizer que alguns setores específicos representam uma parcela bem maior desses gastos, e é justamente neles que se requer mais atenção e ações mais assertivas. Confira a seguir!

Estoque e armazenagem

Esse custo logístico é inevitável dentro de qualquer empresa que precise gerar estoque de produtos. Afinal, estamos falando de espaços físicos, estruturas de armazenamento, ferramentas e equipamentos de movimentação, recurso humano, controles específicos de validades, temperaturas, manuseio, perda, falta, contaminação, tecnologias etc.

Enfim, o processo de armazenagem é sempre uma questão delicada dentro da cadeia logística e requer uma gestão bem alinhada e estratégica. Mesmo que muitos desses custos logísticos sejam inevitáveis. É totalmente possível administrá-los e controlá-los, conforme daremos algumas sugestões mais adiante.

Transporte

Outro custo logístico que faz parte da vida de qualquer empresa é o transporte. Manter uma frota em funcionamento, arcar com gastos de manutenção, combustível, pedágios, multas, motoristas, seguros, roubos, extravios, entregas urgentes, entre outros, requer altos investimentos e gastos. Desta forma estão sujeitos a saírem do controle e acabarem pesando no bolso da empresa.

Por isso, a questão é: será que, em tempos de tecnologia e de ampliação dos modais no país, ainda vale a pena investir em uma frota própria? Ou terceirizar o transporte não seria mais fácil e eficiente? Veremos também algumas soluções viáveis abaixo!

Com isso, como reduzir, de fato, os principais custos logísticos?

Para começar, devemos ressaltar que reduzir custos logísticos é possível. Porém as ações devem ser tomadas de acordo com as especificidades e características de cada empresa. Ou seja, não há uma receita pronta e padronizada para todo o mercado.

Apesar disso, algumas estratégias são recomendadas e sempre servem como base para a gestão. E é sobre elas que abordaremos a seguir. Confira!

1. Invista em tecnologia

Hoje, a tecnologia é uma grande aliada da gestão de redução de custos logísticos, pois possibilita controles mais apurados, informações mais seguras e muito mais praticidade.

Portanto, investir em tecnologias específicas para a área de logística é sempre considerada uma boa estratégia. Existe uma infinidade de softwares dedicados a, praticamente, todas as áreas do setor, como o WMS (Warehouse Management System), para a gestão de armazéns, rastreadores de entregas, gerenciadores de frotas, TMS (Transportation Management System), entre outros.

Cabe ao gestor saber avaliar as necessidades da empresa e tomar as decisões assertivas para os melhores investimentos tecnológicos.

2. Crie e monitore os KPIs

Por falar em tomadas de decisão, uma das formas mais eficazes para controlar os custos logísticos é saber trabalhar bem os indicadores de desempenho. Apesar dessa estratégia ser muito abordada no setor, muitas empresas ainda não conhecem como trabalhá-la, ou até mesmo, nem a utilizam.

Isso pode ser um erro fatal! Afinal, os KPIs são fundamentais para detectar e analisar, com mais detalhes, aqueles pontos mais críticos da operação. E ajudam o gestor a tomar as decisões de forma mais segura e assertiva.

Por isso, avalie bem onde estão os principais custos e gastos que podem ser reduzidos, crie KPIs específicos para eles e monitore-os até que suas ações gerem resultados.

3. Otimize seu estoque

Como dissemos anteriormente, a armazenagem sempre é vista como um dos custos logísticos mais delicados de uma cadeia de suprimentos. No entanto, existem alternativas modernas e inteligentes que são fundamentais para a otimização desses processos.

Citamos a importância do uso da tecnologia no setor, como o WMS, porém há outras estratégias que podem ser muito úteis também para a redução de gastos. Por exemplo, a mudança de layouts do estoque — visando melhorar as movimentações —, métodos específicos de estocagem como FIFO e LIFO, uso de estruturas específicas, como mezaninos industriais e racks metálicos, entre outras alternativas.

4. Opte por formas alternativas de entregas

No Brasil, o modal rodoviário predomina no cenário logístico do país. Mas isso não significa que ele seja a única opção. Muito pelo contrário! Em um território de dimensão continental e com características geográficas e de infraestrutura tão especiais. O transporte intermodal se torna uma alternativa inteligente e econômica para sua empresa conseguir expandir e otimizar suas entregas.

5. Terceirize o transporte

Também ressaltamos no início do texto que o transporte pode gerar altos custos para a empresa. Por isso, a terceirização deve sempre ser avaliada como uma opção mais econômica e prática. Imagine, por exemplo, ter que arcar com entregas semanais de São Paulo até Belém. Quanto isso custaria em tempo e dinheiro para uma empresa de frota própria? Agora, imagine se puder realizar o mesmo trajeto de avião ou caminhão, repassando a responsabilidade de gestão para um parceiro?

Faça as contas e analise as possibilidades.

6. Planeje suas entregas emergenciais

Outros custos logísticos relacionados às entregas são as demandas de emergência. Toda empresa está sujeita a ter que realizar essas ações, que podem sair caras para você ou para o cliente, além de envolver riscos. Porém, tudo pode ser evitado com a escolha de um bom parceiro especializado.

Portanto, invista em parcerias estratégicas com fornecedores de referência em entregas expressas. Que prezem pela qualidade e eficiência e, claro, que tenham a estrutura necessária para atender às suas demandas.

7. Opte por soluções segmentadas

Uma fábrica de peças automotivas tem características e cuidados para entregas bem distintas de uma produtora de alimentos e bebidas, concorda? No entanto, não é muito difícil encontrar serviços de transportes terceirizados que não realizam essa segmentação e, com isso, acabam gerando mais custos e até riscos para as cargas.

Portanto, na hora de fechar a parceria, prefira esse diferencial e confira as vantagens e economias de segmentar as entregas de acordo com a área de atuação de sua empresa.

Enfim, essas foram algumas dicas e sugestões para se controlar os principais custos logísticos que quase toda empresa precisa. Apesar de não ser uma tarefa simples, podemos garantir que todos esses esforços, quando bem aplicados, trazem resultados incalculáveis e capazes de enxugar bastante os gastos operacionais. Por fim, reforçamos a ideia de que, hoje, uma boa gestão deve se basear em tecnologia, métodos e, principalmente, em parcerias estratégicas.

Gostou do post? Quer receber outras dicas e informações úteis sobre o universo logístico e empresarial? Então, não deixe de se inscrever em nossa newsletter e receba tudo em primeira mão.