Logística

Entenda a importância da política de gestão de estoques

A implantação de uma política de gestão de estoques resulta no melhor andamento das atividades da empresa através de planejamentos focados para a utilização de seus recursos. Então, o estoque é o principal instrumento que dá seguimento às tarefas da empresa e ele precisa ser controlado.

política da gestão de estoques

Então, saber quais as demandas que a empresa necessita: o que, quanto e quando deverá produzir. Além disso, ter controle sobre os custos e movimentação evitando desperdício e geração de prejuízos. São os principais objetivos alcançados com uma política de estoque eficiente. Certamente, esses objetivos são buscados por qualquer empresa que reconheça seu estoque como bem maior.

Assim, dentro de uma organização, o estoque pode ser percebido de forma diferente pelos setores cujas atividades sejam influenciadas pelo alinhamento entre seu planejamento e a disponibilidade de recursos.

Dessa forma, para que o setor de produção não produza além do necessário, para que o setor comercial não aumente o estoque para garantir o atendimento aos clientes, para que o setor financeiro não comprometa seu fluxo de caixa e para que não exceda o capital total investido, é necessária a criação de uma política de estoques bem definida. Inclusive, adequada ao tipo de mercado que a empresa atua.

Olho na gestão de estoques

Acima de tudo, para a definição de uma política de gestão de estoques adequada e eficiente, o objetivo sempre será o menor estoque possível com o maior nível de atendimento aos clientes, internos e externos.

Então, quanto maior for o estoque mais custos com armazenagem e controles. Portanto a empresa deve controlar seus estoques para que ocupe o menor espaço possível e permaneça o menor tempo possível, resultando no retorno de seu investimento no menor tempo.

Também, funções de estoque máximo e mínimo, ponto de ressuprimento e estoque de segurança são funções importantes para afastar riscos. Por exemplo furo de estoques, que trazem grandes prejuízos.

Então, para não correr o perigo de um stock out (furo de estoque), essas funções precisam ser administradas em integração com a funcionalidade dos estoques. Portanto, o ideal é possuir um inventário com um mecanismo de monitoramento da quantidade em estoque, a todo momento.

Assim a empresa deve saber com exatidão a quantidade de estoque, em qualquer ponto específico no tempo.

Organização que gera economia

Um sistema de gestão de estoques bem administrado permite que uma empresa possa cortar custos. Então, com um estoque de funções alinhadas, é possível implantar planejamentos de compra de mercadorias em grandes quantidades, conforme a sua necessidade sazonal de venda. Com isso, você negocia mercadorias em quantidade com antecedência, consegue negociar preços e armazená-las para a temporada.

Portanto, os principais benefícios deste exercício são que a empresa pode atender toda a demanda e quando ele compra em quantidade e de maneira planejada, obtêm descontos.

Ganhando eficiência com a tecnologia

Os sistemas integrados de gestão de estoques nasceram com a implantação da produção em série e com o crescente uso de computadores. Assim, com a modernização e dinâmica da oferta e da procura, modelos tecnológicos de gestão ganharam espaço.

Hoje é impossível que não haja um sistema para o controle e auxílio ao gestor que precisa saber quando e quanto ressuprir de cada material.

Aliás, há sistemas específicos para determinados segmentos ou de acordo com o porte operacional da empresa. Alguns inclusive podem assumir funções específicas e ganham destaque em determinados segmentos.

Porém, seus fins estarão sempre voltados ao cumprimento das ordens de produção de maneira eficiente realizando a entrega no lugar e dia exatos, na embalagem e documentação corretas e para que a pessoa certa traduza o serviço prestado em satisfação plena.

Então, sua empresa possui uma política de gestão de estoques? Compartilhe conosco os benefícios que este tipo de iniciativa influenciou na logística da sua empresa.