logística colaborativa

Atualmente, as empresas enfrentam dois grandes desafios para sobreviver à economia. Primeiramente, sobreviver a concorrência de mercado, que se mostra cada vez mais acirrada em todos os segmentos. E em segundo lugar, atender as demandas dos clientes. Pois esses se mostram cada vez mais exigentes e críticos quanto a qualidade do produto e serviço oferecido.

Portanto, depois de muitas estratégias traçadas e processos analisados chegou-se a conclusão de que seria mais positivo e vantajoso a parceria e colaboração entre as diferentes empresas, ao invés da competição.

Em todos os segmentos de negócio, a parceria tornou-se argumento comum. Assim, nas negociações entre clientes e fornecedores , muitas das vezes, este termo é considerado sinônimo de colaboração. Eis então que surge a logística colaborativa.

Então, dentro deste processo todas as áreas funcionais – desenvolvimento, fabricação, comercialização e distribuição dos produtos, interagem com as demais. Gerando assim um resultado final completo e satisfatório. Pois tudo é pensado e executado de forma integrada.

O que é a logística colaborativa

Como o próprio nome diz, a logística colaborativa traz em seu fundamento a parceria entre os componentes da cadeia logística. Sejam eles fornecedores, clientes ou outros integrantes. Assim, todos trabalham e colaboraram com o projeto ou serviço em questão.

Essa parceria é caracterizada pelo alto grau de comprometimento entre todos os envolvidos, sempre com o foco principal na eficácia dos serviços prestados, eliminando desperdícios e otimizando equipamentos, mão-de-obra e recursos empregados.

Por que exercitar a colaboração

Essa nova estratégia foi criada pela necessidade de se ampliar o controle sobre a organização das empresas. Porém, essa demanda ganhou mais força com a intensificação da globalização dos mercados e da produção. A partir daí as empresas começaram a ver as operações em termos de integração das cadeias de suprimento e estratégias.

Desta parceria, são obtidas melhorias significativas repassadas a todos os elos da cadeia. Uma operação em que todos ganham. Principalmente o cliente, que recebe um serviço de alto nível com um custo competitivo.

Objetivos da logística colaborativa

Um dos principais objetivos da implantação desse tipo de estratégia é a substituição de estoques por informações.

As informações são muito importantes e uma das ferramentas mais trabalhosas de se obter. Por exemplo, para um fabricante, a informação da quantidade exata de embalagens de um determinado produto que foi vendida em um determinado ponto de venda é crucial e essencial para o bom andamento das suas estratégias logísticas.

Mas se esta informação é transmitida diretamente, o fornecedor poderá repor os estoques naquele ponto de venda de modo ágil, evitando desencontro de informações. Porém, esse controle só poder ser alcançado se houver a colaboração entre os parceiros.

Para que esta interação aconteça de forma integrada, assim como em qualquer estratégia logística, há a necessidade de sistemas robustos que auxiliem no processo. Um exemplo é o Collaborative Planning Forecasting and Replenishment (CPRF), que permite elaborar previsões de vendas, planejamento da produção e da distribuição com o intuito de otimizar o equilíbrio entre o melhor custo e a melhor taxa de serviço.

Entretanto, para tornar-se realmente eficaz, a colaboração exige confiança entre parceiros, uma vez que eles partilham informações ao nível estratégico de seus planos comerciais.

A responsabilidade com o meio ambiente também merece destaque. Pois a integração não visa apenas os ganhos financeiros, mas também a sustentabilidade, já que com um menor número de equipamentos na operação se gasta menos combustível e, conseqüentemente, se diminui a emissão de CO2 na atmosfera e também de todos os insumos destes equipamentos.

Logística colaborativa: quebrando paradigmas

Há alguns anos, era impossível de se imaginar a possibilidade de empresas concorrentes trabalhando lado a lado na busca de soluções para otimizar processos, reduzir custos e oferecer qualidade ao cliente. Mas com a logística colaborativa isso se torna possível e já é uma realidade do atual mercado.

Lembrando que esta parceria não envolve projetos e informações internas de cunho sigiloso. Esta parceria se resume a distribuição física nos grandes centros distribuidores e varejistas de produtos manufaturados, impactando apenas nos processos logísticos de movimentação de cargas.

Se quiser conhecer outras formas de aumentar sua eficiência logística e reduzir custos clique aqui.

Agora, compartilhe conosco nos comentários se você teve experiências exercitando a logística colaborativa.